O que é que eu fiz?

Ontem, quando cheguei a casa às seis e meia da manhã, descobri a minha mãe deitada no sofá. Foi assustador, parecia mesmo o papão, o homem do saco ou um desses tipos diabólicos, ladrões ou assim. Estava embrulhada na manta ao xadrez, que eu recebi da minha Tia Céu, num Inverno em que me constipei muitas vezes. Na mesa, um pacote de rebuçados da régua a meio, uma caixa de lenços kleenex e uma garrafa de compal ligth manga-laranja. A televisão, baixinha no discovery channel, rematava de forma perfeita aquele cenário perfeitamente grotesco e ameaçador. Tentei avançar sem fazer barulho, mas ela chamou-me:
António?
Sim?
Que horas são?
Devem ser quase sete, não tenho relógio. O que é que estás aí a fazer?
Aproximei-me do sofá e fiquei de pé. Estava bastante cansado, tinha ido fazer um bocado de natação (tenho notado um pneu detestável na zona abdominal) antes do trabalho e não me apetecia estar ali em conversas.
Senta-te aí, meu filho.
A minha mãe estava com uma cara abatida e com o cabelo despenteado, o que era deveras extraordinário, já que a cabeleira dela está sempre impecavelmente tesa.
O que é que foi?
Senta-te.
Os meus pais estão casados há trinta anos. O divórcio era pouco provável.
Estou preocupada contigo.
Comigo?
Tu andas bem?
Ando, porquê?
E na bomba?
Na bomba tudo bem. O que é que.. não estou a.
É que andam aí a dizer.
Andam aí a dizer o quê?
Que tu andas a roubar na bomba.
Alto. Eu nunca na vida roubei o que quer que fosse daquela merdosa e miserável bomba de gasolina. Roubar? Até podia ser um tipo que gostasse muito de chocolates e, para quem gosta muito de chocolates, uma bomba de gasolina é um local muito perigoso. De resto, aquelas madalenas e aqueles foleiros pacotes de bolachas não são puto atractivos.
Roubar? Quem é que disse isso?
A Adelina do segundo andar diz que ouviu dizer.
(A Adelina do segundo andar é a velha das hemorróidas que falei num post antigo)
A Adelina do segundo andar? A gaja é totalmente doente.
Exaltei-me de uma forma bastante irracional. A verdade é que não estava a perceber como era possível cair sobre mim uma acusação dessas.
Tu não precisas de roubar filho. O que é que te faz falta? Diz-me que eu e o teu pai, se pudermos..
Não ouvi mais nada e fui para o quarto. Tirei o telemóvel do bolso. Tinha uma mensagem da Tina, que tinha chegado com atraso: “Vim à ribeira beber um fino e lembrei-me que tenho uma garrafa de um tinto m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o lá em casa para ti. Podíamos combinar qualquer coisa amanhã. Beijos.” Estarei, de alguma forma, a dar falsas esperanças a esta simpática rapariga de cor? Ela até é uma tipa porreira, mas não estou, definitivamente, virado para desenvolver qualquer tipo de affair com quem quer que seja. Houve uma altura que pensei que me estava quase apaixonar, mas rapidamente cheguei à conclusão que sou apenas um tipo que se ilude com muita facilidade. Foi como uma vez, em que me tentaram dar vitela assada no forno como se fosse leitão da bairrada, e eu acreditei. Talvez quem acabe por lucrar com isto tudo sejam os tipos das campanhas publicitárias dos hipermercados e assim. O facto de ser um bocado lorpa deixa-me, por vezes, nervoso, mas a verdade é que tenho convivido de forma saudável com a minha pessoa durante estes anos. E, é mesmo impressionante como ter um blog acaba por aumentar a minha auto-estima. Claro que há dias em que me sinto um autêntico imbecil por continuar com isto. Enfim. Depois, para animar, costumo ler um patinhas (almanaques "hiper" dos antigos) e fica tudo bem.


nota: Há um tipo bastante para o palerma, que anda lá de vez em quando pela bomba a fazer umas promoções tenebrosas a umas coisas que ninguém comprar (desta última vez era o boneco Gil, aquele idiota da tromba azul). Às tantas, o gajo quer é queimar-me para ver se apanha o meu lugar. Não o posso acusar sem ter provas, mas vou tratar de tirar esta história a limpo.

22 comentários:

def disse...

A marlene obriga-me a roubar o Y ao público do meu chefe.
um dia sou despedido!

. disse...

nao te chateies com isso antónio... má lingua é o que há mais para aí...

cristiana disse...

os teus dias são mais interessantes/ hilariantes que os de qualquer pessoa normal. leio o que escreves entre um sorriso e uma leve descrença de que tal vida (tal como a contas) seja possivel. Fabuloso!
Continua com o bom humor and always look at the bright side of life!

Guilherme de Araújo disse...

Antunes, vá a http://somatos.blogspot.com e veja o que dizem de si.
Parabéns! Continue.

Anónimo disse...

A sua "Nota" é preciosa, Sr. António. Menina Azul, continue no seu blog,é uma boa maneira para se entreter. LOL. Marco

Anónimo disse...

Tiro na mouche! Isabel.

bravo disse...

Mantém-te de olho no palerma das promoções!

Abraço

Kyriu disse...

um tipo da minha terra descobriu, ao chegar a casa, que nesse mesmo dia tinha assasinado um ucraniano no Algarve (com um pico das obras. e a terra é na Beira Alta já agora), tinha fugido com a GNR no encalço mas já estava engaiolado e à espera de julgamento. e isto assim, ao chegar a casa, morto do trabalho, pela voz da mãe. depois de jantar foi fazer a volta a todas as tascas a desmentir o boato. eu cá acautelava-me... de resto, um abraço e boa escrita :)

devilspit disse...

Tens a mania da perseguição não, tens?? Isso e um dom para teorias da conspiração!

joana disse...

ó pá, tu vê lá, olha que mulher de cor é bicho do mato!

A disse...

O que dizer?... parece António Lobo Antunes em dias de ressaca.
Aquilo que me espera amanhã. Ressaca, pois.
Bolas, gosto mesmo de ler o teu dia a dia.
Lembro-me, no meio da sarjeta, que afinal de contas, há vidas bem piores do que a minha. ;)

Muito bom.

TR disse...

Fartei-me de rir, mas para mim a melhor foi a da vitela assada por leitão!!!! LOL!!!!!

ch'an disse...

antónio, gosto disto pá. não te importas que linke não? admiro esta tua franqueza com as coisas.

Mamã disse...

Filhinho,
Quando a vizinha disse que vinhas para aqui falar da tua vida nem queria acreditar.
A verdade é que descubro coisas sobre ti que nunca imaginei.
Pára de aceitar moedinhas-para-tocar-o -sino destas pessoas e vai já ter com a Paula, que existe e que é claramente a mulher da tua vida. A filhinha que eu nunca tive. Será que o Metaleiro não aceita uma troca?

Beijinhos filho

Porta-te bem e trata dessas hemorroidas (estas pessoas já sabem tudo, portanto podem muito bem também saber disto)

katraponga disse...

Surrealista! :)

Joca disse...

Onde é que eu andava...
Bem aqui estou...
Espero que nesta altura já tenhas espancado o tipo que te andava a difamar, se não foi ele, saberás quando lhe tiveres a fazer uma endoscopia com os punhos...
Quanto à tua vizinha...que tal uma prenda...? Posso sujerir um desses chocolates que vendes nas bombas...
Um abraço...

M.Azul disse...

A peça foi gira! Aplausos (bis) LOL

O Turista disse...

bem acho que podes começar a acumular os posts e escrever um livro... :p
Força aí!
Abraço!!

O Turista - http://turistar.blogspot.com/

Misty disse...

:)

Opah, oferece mas é umas madalenas à don'Adelina...

Misty disse...

:))

Anónimo disse...

entao andas a falhar, nao escreves nada a uns dias, o que se passa?
Paula

M.Azul disse...

Já não precisas de escrever mais aqui... tinhas razão. Mas isto não é para 'fazer jeito', é o que sinto... Os fins não justificam os meios. Bom, mas ao dfizer isto, também acho que foste um bocado duro. De qualquer forma devolveste-me confiança e sinto-me mais leve. Obrigada António. ;)